A gestão escolar constitui uma dimensão importantíssima
da educação, uma vez que, por meio dela, observa-se a escola
e os problemas educacionais globalmente, e se busca abranger, pela visão estratégica e de conjunto, bem como pelas ações interligadas,tal como uma rede, os problemas que, de fato, funcionam de modo interdependente.

Bem-Vindos ao meu Blog!

Gostaria de agradecer a todos os que estão visitando este Blog.

Este Blog tem a cara de Educadores que buscam inovações, que acreditam na possibilidade de uma educação melhor.

Espero que gostem e que seja útil na sua prática educativa!

Até mais!

quinta-feira, 28 de junho de 2012

Ação conjunta: Família, Escola e Sociedade

A sociedade precisa ter claro que o papel da escola não é transmitir conhecimentos para uma Educação básica, de “berço”, como a palavra traz essa vem de casa, da base de cada ser humano. Ana Regina Caminha Braga

A Família tem papel fundamental na educação da criança
É chegado o momento de motivar uma reflexão junto à família, na qual é depositada uma responsabilidade tão valiosa quanto à do professor, se considerar que a criança ao chegar ao mundo já estabelece suas primeiras aprendizagens no meio em que está inserida, ou seja, seu lar. É muito importante essa consciência por parte dos responsáveis para que aja uma compreensão real do que é dever da escola e o que compete à família, pois ultimamente os papéis estão um pouco invertidos pelo que pode ser visualizado nas escolas. Já que as famílias confiam a Educação formal de seus filhos, desde cedo à escola, as regras também devem ser explicadas desde o início da caminhada da criança. É nítido que os responsáveis têm conhecimento de sua existência, mas nem sempre colocam em prática, em virtude da vida agitada que o ser humano leva atualmente com a globalização e etc. No entanto, alguns problemas começam a dar sinais e se não tratados, o percurso continua, mas com algumas “pedras” que podem dificultar o caminho. Como traz Isabel Parolin (2003, p. 8) “a criança precisa estabelecer com seus pais, professores e outros adultos relações equilibradas, decorrentes de fronteiras nítidas”, ou seja, ela precisa de um espaço no qual as aprendizagens primárias sejam vividas, ensinadas, mas para ensiná-las o que é preciso? Principalmente conhecer desde tenra idade os limites. Os “sins” e os “nãos”, os quais serão absorvidos pela criança como um meio de representação dos seus ganhos ou de suas perdas. Para tudo na vida precisamos de ordem e educação; o mesmo acontece no meio escolar. De acordo com Isabel Parolin (2003, p. 11) à escola cabe o papel de “educar nossas crianças para que elas tenham maturidade para pensar alternativas, nos problemas que a nossa geração está deixando como herança, mas também para os novos desafios”. Mas para que isso aconteça é preciso que a sociedade, a família e a escola caminhem juntas, cada um reconhecendo e efetivamente cumprindo com seus papéis, para que nenhuma instância fuja de seus deveres, sobrecarregando outra instância, como acontece nos dias atuais. A sociedade precisa ter claro que o papel da escola não é transmitir conhecimentos para uma Educação básica, de “berço”, como a palavra traz essa vem de casa, da base de cada ser humano. Na escola elas aprendem cidadania, valores éticos, formação de opinião, filosofias de vida. Na instituição se aprender o mundo e suas múltiplas linguagens. Nesta realiza-se uma caminhada acadêmica, a qual media novos caminhos para uma vida profissional.
*A autora é Tradutora e Intérprete da Língua Inglesa, Psicopedagoga, Especialista em Educação Especial, Gestão Escolar e Mestranda em Educação PUCPR. anaregina_braga@hotmail.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário